Ganhe DINHEIRO trabalhando em casa!

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Número de homicídios no Carnaval cresce 77,4% no Ceará

Subiu em 77,4% o número de assassinatos ocorridos no Ceará durante o feriadão de Carnaval, em comparação com dados de 2012. De acordo com informações da Secretária da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), das 18 horas da última sexta-feira, dia 8, até as 6 horas de ontem, 55 pessoas foram mortas no Estado.

Em 2012, durante o mesmo período, a SSPDS registrou 31 homicídios, conforme O POVO publicou na época. Em Fortaleza e na Região Metropolitana, neste ano, foram 31 as mortes, contra 21 em 2012 – uma alta de 47,6%.
Conforme relatório da Coordenadoria de Medicina Legal (Comel), os últimos homicídios registrados em Fortaleza, no feriadão, ocorreram por disparos de arma de fogo, na madrugada de ontem. Os crimes foram nos bairros Mucuripe, Centro, Itaperi, Parque Genibaú e Conjunto São Cristóvão.
Já no interior do Estado, de acordo com o subtenente Marcos Sousa, do Comando de Policiamento do Interior (CPI), a última ocorrência havia sido registrada na cidade de Solonópole, a 275 quilômetros de Fortaleza. Na ocasião, um jovem de 23 anos foi morto a golpes de faca após uma discussão.
O caso ocorreu por volta das 3 horas de ontem, durante uma festa realizada em um clube às margens da CE-371. A vítima, André Alisson da Silva, chegou a ser levada para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. O acusado de cometer o crime, identificado como José Maike Pinheiro, 19, foi preso em flagrante.

O POVO tentou ouvir o comandante da Polícia Militar, coronel Werisleik Pontes Matias, sobre os homicídios no Ceará durante o Carnaval. Porém, no começo da tarde, o coronel informou que participava de uma reunião e não poderia atender a reportagem. O relações públicas da PM, tenente-coronel Fernando Albano, foi, então, procurado para indicar alguém que comentasse o balanço dos homicídios, mas informou que apenas hoje a SSPDS designará alguém para dar entrevista, que poderá ser o comandante da PM ou o secretário Francisco Bezerra.

Fonte: O Povo Online